domingo, 9 de outubro de 2011

Como melhorar a educação se não...

"A verdadeira educação consiste em pôr a descoberto o melhor de uma pessoa". Com essa afirmação, Mahatma Gandhi demonstra uma preocupação com o lado positivo do ser humano, deixando de dar maior importância ao negativo. Visão que o próprio vivenciou, dando, dessa forma, exemplo daquilo que pregou, através da não-violência frente aos "inimigos", fato que libertou a Índia do poderio britânico.
O que nós professores estamos fazendo para direcionar uma educação próxima dessa visão? Qual o exemplo que estamos dando aos nossos alunos? Por que cobramos tanto se não damos bons exemplos? Afinal, o exemplo vale mais do que mil palavras! Primeiro cumprir com os deveres, depois cobrar os direitos. Nesse contexto, Mahatma Gandhi dizia que "a verdadeira fonte dos direitos é o dever. Se cumprirmos os nossos deveres, não precisamos ir longe procurar os direitos. Se não cumprirmos os deveres e buscarmos os direitos, estes nos fugirão como quimera".
Condenamos nossos alunos pelo fato de usarem celular, por exemplo, de forma irresponsável na escola (o que é verdade); o que dizer de professores que vivem deixando a sala de aula para fofocarem ao telefone?! Condenamos nossos alunos pelas "criancices" praticadas na escola e até em sala de aula; o que dizer de professores que vivem deixando de dar aula para irem à sala de outros fofocar?! Condenamos nossos alunos pela falta de disciplina na sala de aula; assista a uma reunião de professores! Condenamos nossos alunos pela falta de união nas atividades em grupo; participe de um projeto "pedagógico" em grupo com alguns professores! Condenamos nossos alunos pela falta de interesse nos estudos; o que dizer de um professor que grita alto na sala dos professores "só estou pensando na aposentadoria, não quero saber de participar de curso algum, não tenho mais motivação"?! Vale lembrar que temos alunos motivados; como estes ficam?
Quando a coisa funciona, ganham todos. Quando a coisa não funciona, perdem todos. O resultado do mau exemplo é a própria sociedade, com seus desmandos, suas injustiças, suas desigualdades, suas mentiras, suas hipocrisias etc. E o lado positivo desses "pestinhas"? Não tem nada de bom em nossos alunos? ou não estamos preparados e não queremos nos preparar nos protegendo na efetividade do cargo? Cargo esse que conquistamos com direito é verdade (somos concursados), apesar de existirem aqueles que não necessitaram de concurso, visto que são egressos do "trem da alegria" promovido por governos passados.
Por que querermos tudo para nossas ações e torcermos contrário às ações do colegas, se somos todos do mesmo grupo? Por que nos preocuparmos tanto em criticar (falar mal e fofocar) os colegas e não ajudar a corrigir os erros? É verdade que "não se atira pedra em árvore que não dá fruto", ou seja, não se critica quem está morto, ao contrário se critica quem está vivo e "incomodando", trabalhando e desenvolvendo trabalhos.
Não vamos conseguir "pôr a descoberto o melhor" de nossos alunos se não descobrimos o melhor de nós mesmos. Vivemos mais preocupados com o pior dos outros do que com o nosso melhor. Isso é desperdício de energia, é perda de tempo, é falta de estar em si mesmo.
Os discursos pomposos, grandiloquentes, ideológicos e baseados em mestres e doutores da educação acabam sendo pura balela. Não se analisa as pessoas pelas palavras, mas pelas atitudes.
Realmente, não estamos preparados para educar! Não somos exemplos! Não somos educadores!

8 comentários:

Adelson Júnior disse...

Congratulations! Na minha visão(minha)este foi seu melhor texto! Nada como uma inspiração baseada em um trabalho/"luta" de campo para colocar tais ideias no lugar que elas devem estar.
Abraço e take it easy,brother!

tecas disse...

Os meus sinceros parabéns por este magnifico texto, professor João Mendonça. Consciência rara e verdadeira. O estatuto de professor nem sempre condiz com as atitudes.Os exemplos têm de vir de cima!Pena é, que este seu texto, não seja publicado num jornal diário.
Uma vénia.
Saudações poéticas e um abraço amigo.

jessica lima disse...

Otimo texto professor, é simplismente a realidade vivida em muuitas escolas inclusive na qual estudo .

joyce disse...

Joao mendonça nao falou mais que certo ,será que nós alunos não temos nada de bom? claro que temos , basta cada professor saber lidar com os alunos!

Nadilce Beatriz disse...

Acredito, João que educar não seja tão difícil, o problema é o sistema, os tabus, as crenças, bagagens que trazemos dos antepassados que muitas delas, hoje, ao invés de esclarecer obscuram os caminhos.
Mas tenho uma grande fé e esperança que o ser humano ainda será capaz de ser ético, ouvir sua consciência e ensinar o que há de melhor para o crescimento humano.

João Mendonça disse...

Também acredito, Nadilce, que o ser humano crie uma consciência que o melhor de cada um é o que mais importa para o crescimento de todos.
Obrigado pelo comentário!

João Mendonça disse...

Obrigado, Tecas, pelas palavras! Os comentários aqui registrados acrescentam muito para o blog.
Abraço fraterno!

paulinha silva disse...

O professor João ta falando a verdade nos não samos perfeitos pra nada muito menos pra jugar alguém sem se corrigir seus proprios erros.